Homem Michelin: Conheça a História!

homem michelin boneco

Se na sua cidade há uma loja de pneus Michelin, então você já passou na frente de Bibendum, conhecido popularmente como homem Michelin. O simpático boneco branco, rechonchudo e cheio de dobrinhas é uma referência ligada diretamente a marca.

Mas qual a história por trás dele? A verdade é que o surgimento do homem Michelin data de antes do século XX, e tem uma origem super interessante. Então se você ficou curioso para saber mais sobre a fantástica história desse mascote, continue com a leitura.

Homem Michelin: como tudo começou

A primeira vez que esse icônico personagem apareceu para o mundo foi em 1898, na cidade de Lyon, na França. Lá Édouard e André Michelin haviam fundado sua companhia de pneus. Mas quatro anos antes teve uma inspiração nada convencional para criar esse mascote.

No ano de 1894, a cidade de Lyon estava recebendo uma exposição de arte. Durante o evento, uma obra feita com de uma pilha de pneus amontoados chamou a atenção de Édouard. Ele estava com André e disse, “olha só, com braços viraria um homem’.

Após um breve momento, o empresário prestou atenção na própria frase que disse. Assim, ambos ficaram com a ideia na cabeça até transformá-la, de fato, no símbolo de sua empresa. E nos anos seguintes foi isso que Édouard fez. Ele contratou o desenhista O’gallop com quem compartilhou sua ideia. E assim, com o nome de Bibendum, assim nascia o mascote.

Primeiros anos de vida de Bibendum

É claro que, desde o final do século XIX até hoje, o homem Michelin passou por diversas fases e transformações. Logo que surgiu, ele lembrava mais um robô do que qualquer outra coisa. Mas já em seus primeiros anos o mascote foi reformulado de diferentes formas.

Nos primeiros anos do século XX, Bibendum ficou com seus contornos mais suavizados. Suas feições se tornaram mais simpáticas e começaram a atrair os olhares de todos. Nesse período, até mesmo sua aparência rechonchuda mudava, pois em alguns anúncios ele aparecia magrinho.

Aliás, o nome Bibendum tinha a ver com o seu primeiro anúncio: nunc est bibendum, ou em português “agora é hora de beber”. A frase remetia à momentos especiais, com o homem Michelin segurando uma taça com vidros e pregos. A intenção era mostrar a força do pneu.

E paralelamente ao sucesso de seu mascote, a Michelin também expandia seus horizontes para além dos pneus. Desde seu surgimento empresa lançou uma revista de viagens chamada Guia Michelin. E em pouco tempo, lá foi criado um espaço especial para Bibendum como crítico. Era oficial: ele estava ganhando o mundo.

Próximos passos da jornada do Homem Michelin

Nos anos seguintes, o rosto do simpático boneco começou a se popularizar globalmente. E ao mesmo tempo, os automóveis também começaram a se tornar veículos cada vez mais utilizados. E como a Michelin havia estabelecido uma identidade com seu mascote, a empresa começou a apresentar resultados cada vez mais positivos.

Em 1912, um desafio testou a popularidade de Bibendum. Até aquele ano, os pneus dos carros eram brancos, o que justificava a cor do homem Michelin. Mas foi nessa época que mudaram para a cor preta, que se mantém até hoje de forma universal.

Felizmente, a popularidade do personagem já estava consolidada e isso não trouxe grandes consequências para ele. Aliás, o branco lhe conferiu um caráter distinto e icônico, que ficou enraizado no inconsciente coletivo. E a prova desse fato viria nos anos seguintes.

Aliás, no começo de sua trajetória Bibendum teve um cãozinho chamado Bubbles. Mas sua popularidade acabou ofuscando a do pet, que ficou por décadas no ostracismo. Foi apenas recentemente que a dupla começou a ser vista junta novamente.

homem michelin boneco

A Michelin e seu mascote pelo mundo

As estratégias de se instituir pioneiramente no ramo de pneus, criar um guia de viagens e um mascote super simpática deram muito certo para a Michelin. Durante o século XX, a empresa começou a se espalhar por uma série de países.

Não demorou até que a empresa se consolidasse como uma das maiores de seu nicho. Hoje, em pleno século XXI e com 135 anos de história, ela está presente em 170 países. São 68 unidades de produção espalhadas por 17 países e uma participação global de mercado de 14%.

Um dos maiores feitos da empresa ocorreu em 2008, quando ela se tornou a única fornecedora de pneus da recém-criada Superleague Formula. Antes, no entanto, ela já havia se aventurado no mundo da Fórmula 1 tradicional, o que lhe deu ainda mais visibilidade.

E quanto a Bibendum?

É claro que seu mascote se manteve firme e forte, acompanhado cada passo da empresa durante toda a sua jornada. Inclusive, ao longo das décadas ele teve participações na mídia fora do circuito de propagandas dos pneus. Veja alguns de seus principais marcos nesse sentido:

  • Ainda em 1900 ele serviu de inspiração para uma poltrona com suas dobrinhas, que se tornou um ícone da cultura pop até os dias de hoje;
  • Já em 1986, o Financial Times elegeu a campanha publicitária com Bibendum o melhor trabalho da área na época;
  • Em 2010, ele foi protagonista de um curta-metragem de animação que ganhou um Oscar;
  • Também em 2010, ele foi eleito o melhor mascote logo do mundo pelas revistas Financial Times e Report on Business;
  • No ano seguinte, em 2011, o homem Michelin ganhou uma estrela na calçada da fama da publicidade. O local fica em Nova York, nos EUA;
  • Ele também fez parte de uma edição especial de quadrinhos Asterix, como comerciante de rodas de carruagem;
  • Além disso, recentemente ele foi animado digitalmente com seu cãozinho Bubbles para uma série de comerciais nos EUA.

Dessa forma, a história do homem Michelin e da empresa se confundem e se complementam. Inclusive, além de garoto propaganda, Bibendum também é chef desde 1986. O restaurante Bibendum Restaurant and Oyster Bar foi criado no bairro de Fulham, em Londres. Ele está localizado onde funcionava a primeira fábrica de pneus Michelin.

Homem Michelin: considerações finais

Sem dúvidas, desde que surgiu até os dias de hoje, Bibendum tem muita história para contar. Para os mais íntimos, ele ganhou até o carinhoso apelido de Bib. E claro, podemos dizer que ele mudou muito até hoje. O homem Michelin está sempre atualizado para se encaixar no mundo e na sociedade moderna.

Não há como desvencilhar a história da empresa de seu mascote. Com o passar do tempo, grandes marcas de pneus e concorrentes surgiram. Goodyear e Bridgestone são algumas delas. Mas a Michelin sempre se manteve carinhosamente no imaginário popular.

Nesse sentido, a empresa tem uma presença forte inclusive aqui no Brasil. Hoje a Michelin é dona de marcas nacionais como a companhia de gestão de frotas Sascar, a Levorin e a Neotec. Por isso, a probabilidade de você ver Bibendum por aqui é grande.

De qualquer forma, este é um dos maiores exemplos de como uma publicidade bem feita pode transformar o destino de uma empresa. E claro, a visão empreendedora dos irmãos Michelin desde o começo também fez toda a diferença para seu sucesso. E você, conhecia a história incrível do homem Michelin? Ainda falando sobre irmãos você já se perguntou em algum momento sobre as marcas Puma e Adidas e o que elas tem em comum? Sim o artigo fala de outro segmento e curiosidade, mas o que liga ambos os assuntos é que Puma e Adidas foram fundadas também por dois irmãos! Conheça a história dessas marcas, desejamos ótima leitura!

One thought on “Homem Michelin: Conheça a História!

Comments are closed.

Posts Relacionados Populares

Temos outros excelentes artigos pra você aproveitar, conhecer e aprender um pouco mais sobre o mundo do empreendedorismo, veja abaixo: