Distribuidoras de Gelo: Que tal empreender nesse mercado?

cubos de gelo

O verão já está aí e com ele vários setores da economia ficam super aquecidos, justamente por conta dos dias de muito calor. E hoje vamos falar de um em específico: as distribuidoras de gelo.

Afinal, será que vale a pena investir nessa área? E como fica o faturamento nas outras estações do ano? É normal que existam muitas dúvidas a respeito do assunto. Muita gente questiona se o gelo, algo tão simples, realmente rende lucros!

Mas já adiantamos essa resposta e ela é positiva. Ou seja, é possível ter lucro investindo em distribuidoras de gelo. Mas, para isso, você terá que ter um completo planejamento e conhecer um panorama geral desse nicho.

Então, esse é o objetivo do artigo de hoje. Continue a leitura e descubra quais os segredos das distribuidoras de gelo e como montar uma.

Distribuidoras de gelo ou fábrica de gelo?

Vamos começar esclarecendo esse ponto básico. Existem distribuidoras de gelo que fabricam o próprio gelo e detém uma marca própria. Elas podem ser empresas de pequeno, médio ou grande porte.

Mas existem também as empresas que apenas distribuem. Ou seja, elas buscam o gelo diretamente na fábrica e fazem a distribuição.

Se você optar apenas por distribuir e não fabricar, terá que se preocupar acima de tudo com a logística e em encontrar a fábrica que será sua parceira. Além disso, você já deve ter uma lista de clientes, veículos e locais adequados para armazenar o gelo.

Por outro lado, se quiser fabricar o próprio gelo, terá que pensar na aquisição de máquinas para esse fim. Quem está começando na área, costuma adquirir apenas uma máquina no início.

Mas leve em conta a capacidade de produção, o tipo de gelo produzido (escamas ou cubos) e a capacidade que você tem para armazenas o gelo de forma adequada. De todas as formas, podemos dizer que as duas possibilidades são viáveis, desde que você se planeje. 

Qual o lucro de vender gelo?

O lucro de vender gelo pode parecer irrelevante, mas essa percepção está completamente errada. Por isso a cada dia que passa surgem mais distribuidoras de gelo, aumentando a concorrência nesse segmento.

Fazendo um cálculo simples, para produzir cerca de 1kg de gelo, você vai gastar algo em torno de R$1,50. E isso já levando em conta os custos com energia elétrica, água e embalagem.

Na hora de vender, o preço de mercado do quilo de gelo varia, ficando entre R$5 e R$10. Tudo depende da localização, época do ano e demanda. Por exemplo, nas praias, na alta temporada, o valor do saco de gelo vai nas alturas e cai durante a baixa temporada.

Datas como ano novo e Natal, que caem no verão aqui no Brasil, também influenciam no preço, principalmente nas regiões litorâneas.

De toda forma, vamos levar em conta o valor mínimo de R$5 por 1kg de gelo. Nesse caso, você já estaria lucrando R$3,5 por saco, ou seja, uma lucratividade superior a 200%.

Claro que, no meio do caminho, você poderá ter outros gastos. Estes incluem o transporte do gelo, aluguel do espaço para armazenamento e custos com funcionários. Mesmo assim, um lucro de mais de 200% permite que esses gastos sejam absolvidos sem que você saia na prejuízo.

lucros e rendimentos financeiros

Operação básica para quem está começando

As grandes distribuidoras de gelo contam com uma estrutura grandiosa e com muito valor agregado. Caso você queira começar nesse ramo, vai precisar dar um passo de cada vez. Nesse sentido, a sua operação inicial vai envolver:

  • Aquisição de uma máquina de gelo em cubos (que é o mais vendido para o comércio em geral);
  • Instalação da máquina em um local fechado e apropriado;
  • Compra das embalagens para ensacar o gelo;
  • Compra do equipamento que será usado para lacrar o saco, bem como uma balança para pesar o gelo antes de lacrar o saco;
  • Um veículo próprio para o transporte e entrega dos gelos.

Sobre a máquina de gelo, por exemplo, elas são praticamente automáticas. Nesse caso, basta você ligá-la na tomada e em um cano onde passe água corrente tratada. Hoje em dia, as máquinas modernas já contam com um filtro próprio embutido. Esse acessório realizará a completa filtragem da água antes de iniciar a produção do gelo.

Depois, o gelo em cubos é produzido e armazenado em um freezer que faz parte da máquina. Ao atingir o limite de gelo, você pode começar a empacotá-los. A máquina também encerra a produção de forma automática quando a quantidade de gelo atingir o limite no freezer.

Em suma, você só precisa cuidar quando esse limite for atingido, tratar do devido empacotamento do gelo e da sua distribuição em tempo ágil para os clientes.

Planejamento estratégico para distribuidoras de gelo

Falamos sobre esse assunto lá no início e precisamos voltar para ele. As distribuidoras de gelo precisam, acima de tudo, ter planejamento estratégico para o negócio prosperar.

E isso vai ao encontro do que falamos em outro post, a respeito do plano de negócios de sucesso. Vale a pena a leitura, mas antes temos mais informações a respeito do segmento de distribuidoras de gelo.

O gelo é um produto diferente. É bem verdade que ele é simples e fácil de fazer. Mas, se ficar muito tempo em temperatura ambiente, vai derreter. Em algumas regiões do Brasil, as temperaturas passam facilmente dos 35 graus.

Qual a temperatura média da sua localidade? Provavelmente é alta, não é mesmo? Então, o planejamento se torna ainda mais vital para o sucesso da distribuidora. Depois que o gelo está em trânsito, ou seja, na rua a caminho dos clientes, tudo precisa ser feito cirurgicamente.

A pessoa tem que escolher as melhores rotas e, principalmente, se organizar antes. Assim, é preciso já saber exatamente em quais estabelecimentos vai passar e a ordem das entregas.

Além disso, levar gelo suficiente para as entregas é algo básico. Imagine ter que voltar no meio do caminho? Você pode perder quase um turno de trabalho por conta disso.

Portanto, tenha sempre em mente: organização e planejamento estratégico são tudo na hora de investir em distribuidoras de gelo.

Por que investir na fabricação e distribuição de gelo?

Para encerrar este artigo, vamos listar os principais motivos que vão te incentivar a investir neste segmento:

  • Segmento que não necessita de grandes investimentos iniciais;
  • Área que conta com uma demanda bem estabelecida e não apenas no verão;
  • Lucro garantido, com possibilidade de reajuste no preço em determinadas épocas;
  • Nicho relativamente simples, ou seja, descomplicado e fácil de entender;
  • Produção de gelo também é algo que não há mistérios, você não vai precisar ser um expert no assunto para dar o ponta pé inicial.

Nesse sentido, muita gente se pergunta: e o inverno, como vou faturar? No inverno, a produção de gelo continua, mas em menor escala. Assim, é possível reajustar os preços ou ainda se planejar nas épocas de maior movimento pensando nas épocas mais brandas.

O fato é que os restaurantes e demais estabelecimentos desse tipo compram gelo o ano todo e não apenas no verão. Além disso, as temperaturas estão oscilando para mais até mesmo durante o inverno!

Agora sim, para encerrar, separamos duas reportagens para você ler. O G1 mostrou que, devido às altas temperaturas no interior de SP, uma fábrica investiu na produção de gelo e fatura R$1,5 milhão ao ano.

Já em Colatina, Espírito Santo, a reportagem destaca que o comércio de gelo dobrou em meio às ondas de calor que atingiram a cidade recentemente.

Enfim, esses são apenas alguns exemplos para você se inspirar. Se quiser seguir por esse caminho, boa sorte e não deixe de acompanhar os outros conteúdos aqui do blog!

One thought on “Distribuidoras de Gelo: Que tal empreender nesse mercado?

Comments are closed.

Posts Relacionados Populares

Temos outros excelentes artigos pra você aproveitar, conhecer e aprender um pouco mais sobre o mundo do empreendedorismo, veja abaixo: