Cultura organizacional da empresa: Definições

Quando você faz um processo seletivo, ou até mesmo alguém que conheça passa por uma entrevista de emprego logo se depara com a seguinte pergunta: Qual a cultura organizacional da empresa? Esse termo é extenso, mas relativamente fácil de compreender. Dessa forma, não apenas os candidatos aspirantes a uma determinada vaga olham, mas também todo empreendedor que está estruturando os pilares do seu negócio deve ter máxima atenção para esse aspecto dentro da sua empresa.

Por isso esse artigo tem como objetivo tirar todas suas dúvidas a respeito desse assunto. Afinal de contas, em um mundo amplamente conectado e dinâmico a cultura organizacional da empresa é fundamental para o crescimento dela, importante lembrar que cultura organizacional é no dia a dia de maneira orgânica e natural, sem nada forçado.  

Não importa o tamanho do empreendimento ou a área de atuação dele! A cultura organizacional da empresa será a bússola para retenção de talentos, captação de novos negócios e oportunidades, desenvolvimento de novas idéias e tecnologias, além de tudo um faturamento sólido. Dito isto, vamos saber mais sobre esse assunto?

O que é cultura organizacional da empresa?

Primeiramente precisamos entender o que é a cultura organizacional e como ela se enquadra dentro de determinada empresa.

Em linhas gerais, podemos transformar o termo “cultura organizacional” em “cultura da organização”. Ou seja, ele representa a cultura do seu negócio. Mas o que isso quer dizer?

Bom, a cultura de um negócio consiste em um conjunto de crenças, valores e ações que vão determinar como a empresa, seus líderes e colaboradores conduzem suas atividades.

Em outras palavras, ela define a MENTALIDADE do negócio. E isso em todos os setores, desde hábitos e comportamentos dos fundadores, sócios, fornecedores até a política da empresa com os clientes.

Assim, a cultura organizacional da empresa vai definir também como serão aplicados as estratégias de abordagem do clientes, desenvolvimento, novas aquisições, expansões de mercado e até mesmo avanço para outros setores. Ou seja o intraempreendedorismo é algo que você pode e deve aplicar em seu negócio, com um conceito chamado “economia criativa” criado em 2001 pelo teórico John Howkins, leia mais sobre em nosso artigo sobre empreendedorismo criativo e como pode ser aplicado em seu negócio.

Já adiantamos que não existem culturas boas ou ruins. Nesse sentido, há apenas as consideradas fortes e fracas. E é sobre isso que vamos falar a seguir.

Cultura organizacional forte e fraca

Como vimos anteriormente, a cultura organizacional da empresa engloba todas as crenças e valores do negócio desenvolvido. Isso vai desde o comportamento dos funcionários, diretrizes e estratégias para se comunicar com clientes e fornecedores.

Então, cada empresa possui uma cultura organizacional única! Podemos dizer que ela é a impressão digital do empreendimento ou até mesmo a alma do negócio.

Nesse sentido, não existe uma cultura melhor do que a outra, o que existe são culturas fortes e fracas. Aqui podemos fazer um paralelo com uma comunidade.

Imagine uma cidade que foi fundada por pessoas com várias culturas diferentes. E nenhuma dessas culturas foi adotada pelos moradores que já residiam no local. Além do mais, a cidade não construiu uma cultura própria. Nesse caso, temos uma cidade com a cultura fraca.

Por outro lado, imagine uma cidade fundada por imigrantes italianos que absorveu a cultura desse povo ao longo dos anos. Essa cidade possui uma cultura forte.

No empreendedorismo e nas empresas de maneira geral funciona quase da mesma forma. A cultura organizacional começa a ser inserida pelos sócios e proprietários da empresa. E, aos poucos, ela fica tão impregnada no ambiente que flui de forma natural.

Cultura fraca: como evitar?

Começamos esse tópico destacando algo primordial sobre cultura organizacional: ela é feita por pessoas e para pessoas!

Assim, não existe um manual pré-definido ou uma receita pronta que garante a criação da cultura da empresa. Afinal, cada pessoa traz consigo uma bagagem cultural própria. Aliás, depois vamos falar mais sobre isso.

Mas muitas vezes, até mesmo grandes empresas possuem culturas fracas. Por que isso acontece? E aqui entra uma enorme contradição: um negócio em si que está crescendo de forma acelerada pode ter dificuldades em adotar a cultura organizacional! Então, vamos ver porque isso pode acontecer:

  • Cultura fraca: nesse caso temos dois extremos. Uma empresa em franco crescimento pode não ter tempo para transmitir aos seus funcionários a cultura organizacional. Nesse caso, os treinamentos das equipes são feitos de forma muito rápida. Em suma, não há tempo para nada! Os gestores da empresa precisam se preocupar com questões mais urgentes. Afinal, o negócio tem que aproveitar os momentos mais propícios para crescer. Por outro lado, uma empresa estagnada ou que está falindo também não se preocupa com a cultura organizacional. Mas aqui o motivo é outro: falta de motivação e perspectivas para o futuro;
  • Cultura forte: empresas com muitos anos de atuação e consolidadas no seu ramo de atuação costumam apresentar uma cultura organizacional forte. Elas, geralmente, estão muito presentes na comunidade e conseguem criar uma identidade marcante.

E agora vem outra questão relevante: como aplicar a cultura organizacional da empresa na prática?

Aplicando a cultura organizacional da empresa

Aplicar a cultura organizacional não é tão simples assim. Mas também não é um bicho de sete cabeças! O mais importante é ter a percepção de que ela vai sofrer mudanças ao longo dos anos.

Muitas vezes a empresa começa seguindo por um caminho, mas acaba redirecionando seus rumos conforme o “andar da carruagem”. Tudo isso faz parte do processo e é preciso absorver todo o conhecimento possível.

Em suma, o primeiro passo é desenvolver a Visão, Missão e Valores da empresa. Essas três palavrinhas são os pilares de toda cultura organizacional. A partir delas seu empreendimento dará o pontapé inicial para o desenvolvimento da alma do negócio. Além do mais, o negócio precisa definir algumas coisas básicas, como:

  • Escolher se a cultura será missionária ou mercenária. No primeiro caso, o objetivo é ser eficiente e atuar por uma causa. No segundo, o objetivo será simplesmente ganhar dinheiro (as duas são muito válidas);
  • Pensar a respeito da estruturação e flexibilidade dos processos. Cada ação e iniciativa da empresa terá um processo definido? Ou os processos serão flexíveis conforme o desenrolar dos fatos?
  • Refletir sobre os métodos de trabalho, principalmente se a sua equipe será individualizada ou se atuará em grupo;
  • Elaborar estratégias de como lidar com problemas. A empresa será direta ou atuará de forma mais diplomática?

Como ter êxito na aplicação desse tipo de cultura?

Aplicar a cultura organizacional na empresa requer certo empenho e, principalmente, tempo. Nenhuma cultura surge da noite para o dia. Mas você pode adotar algumas medidas para acelerar esse processo. Vamos ver quais são elas:

  • Peça feedbacks aos seus colaboradores: o primeiro passo é ouvir o que seus funcionários tem a dizer. A empresa precisa saber como está o ambiente de trabalho. Em muitos casos, pequenos ajustes contribuem muito para a cultura organizacional;
  • Incentive a inovação: seus colaboradores podem ter ótimas ideias e você precisa incentivá-los, pois eles agregarão muito na cultura do negócio;
  • Invista no crescimento da sua equipe: cursos, treinamentos e eventos diversos são maneiras de investir no crescimento dos funcionários. Lembre-se que o seu crescimento depende do sucesso deles;
  • Por fim procure praticar o que é definido na Visão, Missão e Valores do negócio em si. Mas como explicamos lá no início, os valores da empresa podem mudar ao longo do tempo. Não tenha medo de atualizá-los quando for preciso.

Então, com essas dicas, você estará no caminho certo para difundir a cultura organizacional da empresa, de maneira genuína a todos os envolvidos no dia a dia. Ainda dentro desse tema, temos pra você a indicação do livro: Você é o que você faz: Como criar a cultura da sua empresa, por Ben Horowitz co-fundador do fundo de investimento Andreessen Horowitz que em 2017, chegou a administrar mais de 200 startups.

Cultura organizacional da empresa: conclusão

Como vimos, a cultura organizacional da empresa é fundamental para o crescimento de qualquer negócio. Mais cedo ou mais tarde, o seu empreendimento precisa definir um caminho a ser seguido. E ele será trilhado com base na cultura aplicada dentro do ambiente de trabalho.

Por isso, esse processo não pode ser negligenciado de forma alguma! Sem uma cultura definida, a empresa ficará sem identidade e, consequentemente, sem uma presença marcante no seu nicho de atuação. Assim sendo, comece a analisar e ajustar a cultura organizacional do seu negócio hoje mesmo. Se precisar, faça as mudanças necessárias pensando no futuro do empreendimento. E, claro, promova a união da sua equipe em prol do crescimento da empresa, a cultura naturalmente vira um “hábito” e isso impactará todos integrantes, inclusive convidamos você a ler nosso artigo sobre como o hábito pode transformar totalmente sua vida. Boa leitura, boa jornada e bons negócios!

Posts Relacionados Populares

Temos outros excelentes artigos pra você aproveitar, conhecer e aprender um pouco mais sobre o mundo do empreendedorismo, veja abaixo: